Qualidade de vida em indivíduos portadores da síndrome pós-pólio

Objetivo: traçar um perfil sobre qualidade de vida em pacientes com Síndrome
PósPolio, e verificar o impacto da doença sobre a qualidade de vida destes indivíduos, por meio do questionário de qualidade de vida SF-36.7. Material e Método: Foram

Saiba mais

Avaliação circadiana da fadiga na sequela de poliomielite e síndrome pós-poliomielite

Objetivo: Avaliar a fadiga circadiana na Sequela de Poliomielite (SP) e na Síndrome Pós-Poliomielite (SPP) e compará-los aos parâmetros actigráficos e polissonográficos bem como, à fraqueza muscular. Método: trinta e nove (39) pacientes realizaram avaliação do questionário do pré-sono e polissonografia, trinta e três (33) realizaram actigrafia e os dados destes exames foram correlacionados com as escalas de fadiga de Chalder, respondida por trinta e oito (38) pacientes e Piper, respondida por trinta (30) pacientes, nos 3 períodos do dia (enviadas via correios). Resultados: o presente estudo, permitiu-nos identificar que a qualidade do sono está comprometida nas duas populações, tanto SP quanto SPP, sendo de maior gravidade a situação enfrentada pelo grupo SPP. A fadiga de fato tem relação com a hora do dia, apresentando-se circadianamente na população de SPP. Conclusão: a fadiga assume caráter circadiano bem definido na população de SPP, de acordo com a avaliação da escala de Piper. A fadiga apresenta relação com parâmetros do sono, especialmente quanto às variáveis índice de apneia e hipopneia, movimento de pernas e arquitetura do sono. A intensidade da fadiga é maior nos pacientes com SPP. A escala de fadiga de Piper mostrou-se bastante sensível e capaz de mensurar a fadiga circadiana na SPP. A intensidade da fadiga está fortemente relacionada ao grau de fraqueza muscular.

Fonte: Avaliação circadiana da fadiga na sequela de poliomielite e síndrome pós-poliomielite

Noite de Autógrafos “O Médico” Qua 23 de Novembro 17:00h · São Paulo

Dr. Beny Schmidt relata casos clínicos surpreendentes em seu quarto livro. A obra conta casos médicos reais e inusitados em que o especialista conseguiu, de forma surpreendente, dar esperança a pacientes já sem força e vontade de viver.
Esperamos por você! Participe!

noite_benny1

Único latino-americano a acumular os títulos de patologista e neurologista, o médico Beny Schmidt está lançando seu quarto livro. Chamada “O Médico”, a obra conta casos médicos reais e inusitados em que o especialista conseguiu, de forma surpreendente, dar esperança a pacientes já sem força e vontade de viver.
“Eu sempre gostei de contar os casos mais estranhos e os resultados impressionantes dos quais eu tive a oportunidade de participar. E o meu filho sempre vibrava muito quando as histórias acabavam bem. Um dia ele me perguntou por que eu não fazia um livro com esses casos, que poderiam beneficiar muitos leitores”, explica o autor.
Segundo Schmidt, a inspiração veio do livro “O Homem que Confundiu sua Mulher com um Chapéu”, em que o cientista e neurologista Oliver Sacks transforma casos clínicos em artefatos literários. “Foi daí que resolvi começar a escolher os casos mais interessantes e escrever sobre eles. Assim nasceu ‘O Médico’, que tem como principal objetivo gerar uma reflexão entre meus colegas brasileiros, numa apologia à medicina humanista”, diz.
O livro, que será lançado no dia 23 de novembro, às 17 horas, na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi, em São Paulo, é formado por 12 tríades, ou seja, capítulos com a mesma estrutura: um poema, uma personagem e um arrazoado.
Outras obras – Dr. Beny Schmidt escreveu três livros que formam a “Trilogia do Amor”, abordando maneiras diferentes de amar: “Patricia – Cartas e Versos para a Mulher Amada”, “Vida em Fúria” e “Tolsty – Retratos de um Amor por um Cão”.
“Patricia: Cartas e Versos para a Mulher Amada”. Por meio de poemas, pequenos contos, reflexões e observações sobre o dia a dia, Beny Schmidt presta uma homenagem especial à sua esposa, Patricia. No entanto, o alcance dos textos é muito mais amplo, funcionando como uma declaração de amor à humanidade e um forte alerta em relação ao modo como vivemos hoje.
“Vida em Fúria”. Obra autobiográfica que fala de temas vivenciados por Beny Schmidt e contados de forma leve e cativante. Em cada um dos 12 capítulos, o autor exalta seu amor pela vida e pelos animais, sem deixar de fazer um importante alerta ao ser humano.
“Tolsty – Retratos de amor pelo seu cão”. Na última obra da trilogia, Beny Schmidt fala do amor desprendido e gratuito pelo seu cão Tolsty, enquanto contempla também, de uma forma mais ampla, a relação do homem com os animais e com a natureza.
Sobre Beny Schmidt
Ao receber do Conselho Regional de Medicina (CRM) o registro de qualificação de Especialista em Neurologia, em abril de 2016, Beny Schmidt tornou-se o único latino-americano a acumular os títulos de patologista e neurologista, um feito inédito na história da medicina brasileira.
É chefe e fundador do Laboratório de Patologia Neuromuscular da Escola Paulista de Medicina e professor adjunto de Patologia Cirúrgica da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Ele e sua equipe são responsáveis pelo maior acervo de doenças musculares do mundo, com mais de doze mil biópsias realizadas, e ajudou a localizar, dentro da célula muscular, a proteína indispensável para o bom funcionamento do músculo esquelético – a distrofina.
Beny Schmidt possui larga experiência na área de medicina esportiva, na qual já realizou consultorias para a liberação de jogadores no futebol profissional e atletas olímpicos. Foi um dos criadores do primeiro Centro Científico Esportivo do Brasil, atual Reffis, do São Paulo Futebol Clube, e do CECAP (Centro Esportivo Clube Atlético Paulistano).
Foi homenageado pela Câmara Municipal de São Paulo com a entrega da Medalha Anchieta e do Diploma de Gratidão da Cidade de São Paulo, como agradecimento por todos os seus feitos em prol da saúde. Seu pai, Benjamin José Schmidt, foi o responsável por introduzir no Brasil o teste do pezinho.

DOCUMENTO TÉCNICO DA SÍNDROME PÓS – POLIO

* Prof. Dr. Acary de Souza Bulle Oliveira
* Ft. Abrahão Augusto Juviniano Quadros
* Dra. Mônica Tilli Reis Pessoa Conde

Este documento é o resultado de um trabalho de
colaboração entre: a Universidade Federal de São Paulo –
Escola Paulista de Medicina Departamento de Neurologia e
Neurocirurgia – Setor de Doenças Neuromusculares, o Centro
de Controle e Prevenção de Doenças da Coordenação de
Vigilância em Saúde da Prefeitura do Município de São Paulo e
a Associação Brasileira da Síndrome Pós-Pólio.doc_tec_spp-1

Dez dicas saudáveis do Dr. Sidney Federman

Dez dicas saudáveis do Dr. Sidney Federman
Escrito em 09 de junho de 2014 por Lisa Simpsons
Curiosidades, Saúde.
Orientações saudáveis para uma boa alimentação
A solução está em nossas mãos. O uso de cereais integrais e leguminosas (feijão, ervilha, lentilha, grão de bico e soja), além de suprir as necessidades de proteínas, possibilita o término do uso das carnes, laticínios, e demais produtos de origem animal, oferecendo importantes mecanismos de proteção contra doenças crônicas e infecciosas. Esse resultado ocorre porque as fibras dos cereais integrais, aderem nas gorduras, impedindo a sua absorção.

Noventa anos de pesquisa permitiram à Ciência Médica a incrível descoberta que as principais doenças e causas de morte no mundo, podem ser evitadas em sua imensa maioria, adotando as seguintes medidas:
1º Utilizar na alimentação diária, grãos integrais ou alimentos em cuja composição existam grãos integrais ou farinhas de grãos integrais.
2º Não utilizar alimentos em conserva de sal ou vinagre e alimentos defumados. A conservação deve ser feita no refrigerador.
3º Não usar fumo, bebidas alcoólicas e café.
4º Usar o mínimo de óleo, de preferência de oliva, somente o indispensável para a culinária.
5º Não usar carne bovina, frango e peixe.
6º Não usar leite de vaca e todos os seus derivados, como: queijo, manteiga, yogurt e similares (como a margarina).
7º Não usar farinha de trigo refinada.
8º Nos climas frios a alimentação deve ser mais densa, concentrada, energética, como: pão de centeio, arroz, lentilhas, gergelim e menos verduras. Nos climas quentes, a alimentação deve ser mais leve, pão de trigo integral, aveia, frutas frescas, milho, grão de bico, menos semente de gergelim e dessa vez mais verduras do que legumes.
9º Atividade física é fundamental.
10º Procurar o contato diário e direto com a Natureza, como andar descalço na grama, na praia, em praças, jardins e desligar o máximo possível das inconveniências da vida moderna.
Dr. Sidney Federman – Especialista em Cirurgia Pediátrica pela AMB.
Diretor Clínico e Presidente do Centro de Estudos do Hospital São Camilo – Santana.
Técnico da Divisão de Doenças Crônicas Não-Transmissíveis – Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo.
Lisa Simpson
Ambientalista, adepta da alimentação sem carne, simpatizante dos direitos animais e agora blogueira!

luiz Baggio Neto 1955-2011 O editor que lutou pelas pessoas com deficiência.

baggio

Fonte: Folha online

Publicação do Diário de São Paulo de domingo 11 de julho de 2010 sobre Síndrome pós-pólio.

LEIA O PDF CLICANDO AQUI

Como descalcificar a glândula pineal – PO

Categorias
Uncategorized

Super Entrevista Com Dr Lair Ribeiro (Agosto 2016)

https://www.youtube.com/watch?v=Z2JRr2eeGLw

Livro História da Poliomielite, organizado pela Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz

Baixe o livro em PDF.

livro-fiocruz

livro-polio-grande